10 de nov de 2009

Passamos o fim de semana na praia, Elis e eu. Entre bincadeiras na areia e pular ondinhas ela fez amizade com o "Bigode", o moço que vende milho com o carrinho. Sim, ela é comunicativa. Uma graça.

Comendo o milho que "o tio Bigode deu", a Elis derrubou na areia alguns grãos. Lógico que tentou pegar de volta e colocar na boca - elae tem dois anos, minha gente! Eu não deixei, disse que era "caca" e pedi que jogasse fora. Ela, com um grãozinho minúsculo na mão:

- Pode jogar, mamãe?
- Pode, Elis.
- E a colher, pode jogar?
- Não. A colher você vai usar pra comer o restante do milho.
- E o "patinho" pode jogar?
- Não. O prato ainda tem milho e você vai querer comer.
- E a mamãe, pode jogar?

*_*

5 de nov de 2009

Hoje cedo, enquanto eu tomava banho, a Elis, como sempre, sentada na privada, cantando. (Confesso, é a melhor trilha sonora do mundo e também a melhor maneira de começar bem o dia).
Aí ela me disse que tinha um mosquito ali.
- Mata ele, mamãe.
- Não, Elis. Tadinho, deixa ele aí que daqui a pouco ele voa pela janela.
- Não, mata ele. Agola.
- Por quê eu vou matar o mosquito?
- Ah, ele tá demais!
A nova da Elis: primeiro ela pede pra passar a manteiga na bolacha. Aí esfrega a bolacha na cara e, toda lambuzada, lança essa:
- Olha, mamãe, to fazendo a bábala, igual ao vovô.
Ontem ensinei a Elis a molhar a bolacha no café. Hoje ela tomou café na xícara, sozinha, segurando pela asa e com pose de lady. Imagina quando eu ensinar a usar os talheres...