28 de mai de 2014

na lanchonete

Essa pitoca faz acompanhamento com uma psicóloga fofa, o que compreende visitas semanais ao consultório. Pois bem, o dito consultório fica no complexo hospitalar, 5º andar. Só que no térreo fica a lanchonete. E não tenta dizer a uma criança de seis anos que as nove da manhã ainda é muito cedo pra comer chocolate.... enfim.

Eis que toda semana, na saída da consulta, passamos na lanchonete, onde ela come um "coração" (croissant) de queijo e um chocolate. Um belo dia, o caixa, encantado com a tagarelice dela (ou apenas tentando fazer ela cessar) saiu com essa:

- Nossa, que menina linda. Quer um bombom?
Como se diz, Elis?
- Obrigada. Agora posso comer meu coração?

Na semana seguinte... o esquecido caixa da referida lanchonete tentou fazer a brincadeira do chocolate de novo, no que a Elis me sai com essa:

- De novo esse bombom?

Não preciso dizer que morri de vergonha, né.

três anos depois...

Três anos se passaram e com eles, muitas coisas...

Coisa de criança acontece o tempo todo, e vai demorar a atualização. Farei o possível.

A Elis já não é mais aquele bebezinho que falava tudo errado e se entupia de chocolate. Mas continua uma criança linda, engraçada e muito, muito inteligente. As tiradas foram aprimoradas, a ironia flui dessa criança naturalmente e a inocência de quem descobre o mundo dá lugar à perspicácia de quem faz parte dele.

Conheçam a Elis de hoje: seis anos e sete meses de puro carisma, a criança mais loira e mais perguntadeira que já existiu. Incansável, irresistível e tagarela. Continua dormindo pouco e falando muito.

Outro dia, me deu uma aula sobre o funcionamento do corpo. Frente a uma recusa para comer mais doces, tentou me explicar, de um jeito só dela, porque precisava deles:

- Mas mãe, eu preciso do açúcar, ou meu corpo não vai produzir energia.
(...)
- Sério, mãe, presta atenção: a comida ajuda a produzir um tipo de energia, mas eu preciso também, além da comida, do doce, porque a energia mais importante é a que o corpo tira do açúcar.

- Elis, tem uma barra de chocolate no armário da cozinha.